Get Free

Favoritar Remover dos Favoritos

Finally, I’m crossing the threshold
From the ordinary world to the reveal of my heart
Undoubtedly, that will for certain
Take the dead out of Dead Sea and the darkness from the arts

This is my commitment, my modern manifesto
I’m doin’ it for all of us who never got the chance
For, and for (shut up, shut up)
And all my birds of paradise (shut up, shut up)
Who never got to fly at night (shut up, shut up)
‘Cause they were caught up in the dance

Sometimes it feels like I’ve got a war in my mind
I want to get off, but I keep ridin’ the ride
I never really noticed that I had to decide
To play someone’s game or live my own life

And now I do
I wanna move
Out of the black (out of the black)
Into the blue (into the blue)

Finally, gone is the burden of the Crowley way of being
That comes from energies combined
Like my part was, I was not discernin’
And you, as we found out, were not in your right mind

There’s no more chasing rainbows and hoping for an end to them
Their arches are illusions, solid at first glance
But then you try to touch them (touch, touch)
There’s nothing to hold on to (hold, hold)
The colors used to lure you in (shut up, shut up)
And put you in a trance (ah, ah, ah, yeah)

Sometimes it feels like I’ve got a war in my mind
I want to get off, but I keep ridin’ the ride
I never really noticed that I had to decide
To play someone’s game or live my own life

And now I do
I wanna move
Out of the black (out of the black)
Into the blue (into the blue)

Out of the black (out of the black)
Into the blue (into the blue)
Out of the black (out of the black)
Into the blue (into the blue)

Finalmente, estou cruzando o limiar
Do mundo normal para a revelação do meu coração
Sem dúvida, isso com certeza vai
Tirar os mortos do mar e as trevas das artes

Esse é o meu compromisso, meu manifesto moderno
Estou fazendo isso por todos nós que nunca tivemos a chance
Disso, e disso (cale-se, cale-se)
E todas as minhas aves do paraíso (cale-se, cale-se)
Que nunca puderam voar à noite (cale-se, cale-se)
Porque foram apanhadas na dança

Às vezes parece que tenho uma guerra em minha mente
Eu quero sair, mas continuo seguindo em frente
Eu nunca percebi que tinha que decidir
Jogar o jogo de alguém ou viver minha própria vida

E agora eu vivo
Eu quero sair
Da escuridão (da escuridão)
Para o desconhecido (para o desconhecido)

Finalmente, se foi o fardo do jeito Aleister Crowley de ser
Que vem de energias combinadas
Como foi o meu papel, eu não era exigente
E você, como descobrimos, não estava em seu juízo perfeito

Não há mais caça aos arco-íris e esperar que eles acabem
Seus arcos são ilusões, sólidos à primeira vista
Mas depois que você tenta tocá-los (tocar, tocar)
Não há nada para se segurar (segurar, segurar)
As cores costumavam atraí-lo (cale-se, cale-se)
E colocá-lo em transe (ah, ah, ah, sim)

Às vezes parece que tenho uma guerra em minha mente
Eu quero sair, mas continuo seguindo em frente
Eu nunca percebi que tinha que decidir
Jogar o jogo de alguém ou viver minha própria vida

E agora eu vivo
Eu quero sair
Da escuridão (da escuridão)
Para o desconhecido (para o desconhecido)

Da escuridão (da escuridão)
Para o desconhecido (para o desconhecido)
Da escuridão (da escuridão)
Para o desconhecido (para o desconhecido)